Translation by Google Translate for Business

An interview with the actor who played the boy who drowned in Crystal Lake, creating one of the greatest slasher icons!

If there is an expression that comes in handy in the introduction of this text is the famous "in the right place at the right time." For those who are familiar with my writings, it is easy to know that I am a great admirer of the genre. Interestingly, I never wrote about one of my favorite horror movies. It's Friday the 13th (Friday the 13th, 1980). Reason joke to many, I really like the original and say more, putting myself in the audience who saw the film in theaters in 1980, I truly believe that many people have enjoyed the film.

How not to mention the sequels? The remake? Freddy Vs Jason? In all this, Jason became a trademark quite profitable and tacky. But cast the first stone who never saw a movie masked killer! In the original work, I like also in Parts 2, 3, 4 and 7. And I confess that I also like Jason X. Well, but back the famous phrase from the beginning of this article, let me explain why it is in a text with the Friday 13 theme.

As I lived in England from 2009 to 2011, working as a journalist, was in November 2010, touring the Nottinghamshire. I had arrived that day and would go back to London the next morning. Walking through the center of the city, suddenly passed in front of a store called Monster Store and came across objects depicting the horror and science fiction films. When I start to analyze the window, against a poster that said "Ari Lehman and Richard Brooker will be in store on this to talk with fans, signing DVDs and take pictures."

For those who did not associate the name with people, Ari quickly played Jason child on Friday 13, while Richard took the villain's role in Part 3 (1982). The first thought that came to my head was how I wanted to be present that day. It was when I observed carefully the date and realized that this was something would happen that day. To be more exact, in less than an hour. Promptly told my friends who were seeing the city without me, because I was already with the program for the evening.

An hour later, I returned to the place. Inside the store, there was no queue. I went in and went to the end of the building, where there was a small table with pictures and posters of Ari and Richard as Jasons. Suddenly, I noticed that the Ari was talking to one of the Store employees at a distance where I could not get close and, despite being a journalist, I am too shy to shout to get someone inside a store. Suddenly I saw another employee and approached me to start the next dialog.

  Philip: Hello, excuse me.

Employee: Yes, do.

Philip: I came to the meeting with Ari and Richard.

Employee: Great, and you want to meet them?

Philip: Yes.

Employee: OK, there are 20 pounds.

Philip: Sorry, I did not understand.

Employee: Each autograph costs 10 pounds.

Philip: Oh no, I do not want autograph, just want to know them and take pictures with them. How much is the picture?

Employee: (look like you did not understand what I was talking about): Photo? I do not know, I think it is free.

Philip: Good, because I do not want autograph.

Employee (still confused face): Why not? Everyone wants an autograph.

Philip: I do not want.

Employee (incredulously): Are you sure?

Suddenly, the Ari himself came up and joined the conversation:

Ari: You are from Brazil?

Philip: Yes.

Ari: Oh, I realized soon. You can come here.

Below is an "interview" with Ari Lehman:

Philip: How do you know I'm from Brazil?

Ari: Your accent is unmistakable.

Philip: You know many Brazilians?

Ari: Many Brazilians are present at conventions of horror movies and they are the most passionate fans. It's great to talk to you.

Philip: Well, I just wanted to meet you and take a picture, but can we talk about five minutes for an interview?

Ari: Sure, send the questions.

Philip: I think the first question is how attending conventions and meetings like that of a movie you did over 30 years ago and in which you appear for just a minute?

Ari: I think it's amazing. I think fantastic. I know it's cliche and everyone says that, but no one expected the film to be having that effect.

Philip: What was the moment you realized that the film would be a success?

Ari: I think shortly after launch. I was in high school and a classmate came hidden to me and said in my ear "Kill kill kill ... mo mo mo ..." as heard in the movie. I looked back and asked what was wrong with him (laughs).

Philip: And how carry that title of being the first Jason?

Ari: I am very proud and I think that is something that I take in all the other work that I do. (In addition to Friday 13, Ari participated in three more films and a short film between the years 2006 and 2010)

Philip: I read somewhere that you have a career as a musician?

Ari: Yes, it's true. I have a band. You've heard my CD?

Philip: No (I actually did not even know he had a CD).. What is the name of the band?

Ari: First Jason. Our style is punk / metal and we played in clubs and of course, conventions of horror films. (At this point, he hands me a copy of the CD)

Philip: And besides singing, you play any instruments?

Ari: Keyboard. And you know who is a fan of my sound? Tom Savini (makeup artist first Friday the 13th)

Philip, then I'll listen to your CD. But back to Friday 13, in addition to the original, what other movies do you like?

Ari: I really like 3 because it was the part where the mask was presented to the public and positive impression caused.

Philip: And what did you think of the remake?

Ari: It's not that I did not like, but I think Jason was presented in a way that runs off a bit of the first film idea. I do not know where they got the story of the cave or the electrical system.

Philip: Who pays the electric bill?

Ari: That's right (laughs), but outside these exaggerations, liked the movie, but my favorite will always be the original.

Philip: And speaking of original, are you in contact with someone from the first film?

Ari: When meeting with colleagues at conventions. Some I did not know while shooting, because basically, the cast worked only with Adrienne King.

Philip: I interviewed her a few years ago. She is very friendly.

Ari: It is our sister. I really like the Betsy Palmer, but I just went to meet her years later in conventions.

Philip: What is she doing now? I knew she retired.

Ari: Yes, she lives in New York, but is retired. Occasionally she still participates in some convention.

Philip: It is true that she declined to reprise the role of Mrs. Voorhees in Freddy Vs Jason?

Ari: I do not know for sure, but knowing her, I do believe that she refused and let's face it, the Voorhees Freddy Vs Jason Lady has nothing similar with that Betsy played so well. I speak not of the physical aspect, but the way the character was designed to Freddy Vs Jason, where she was simply presented as an evil mad.

 

(At this point, other people begin to arrive at the store and Ari, very nicely, informs that will have to meet the others).

Philip: Before you go, I can take a picture with you?

Ari: Sure, let me prepare. (At this point, Ari gets a pair of black leather gloves).

Philip: And Ari, one last question, since you know that Brazilians love Jason, send a message to them.

Ari: Jason is the largest and listen to my music, you will like.

Information about Ari Lehman and his band: http://www.firstjason.com

Filmography of Ari:

 

2010 - Night on Has Been Mountain

2009 - Terror Overload

2008 - Three Thug Mice (short)

2006 - ThanXgiving

1980 - Friday the 13th

1978 - Manny's Orphans

(Translation by Google Translate for Business)

(Source: Boca Do Inferno, December 19, 2011. http://bocadoinferno.com.br/entrevistas/2011/12/ari-lehman-o-primeiro-jason-voorhees/)

 ____________________________________________________________

ORIGINAL IN BRAZILIAN PORTUGUESE:

Uma entrevista com o ator que interpretou o menino que teria se afogado em Crystal Lake, criando um dos maiores ícones do slasher!

Ari Lehman

Se existe uma expressão que vem a calhar na introdução desse texto é a famosa “no lugar certo e na hora certa”. Para aqueles que estão acostumados com meus textos, é fácil saber que eu sou grande admirador do gênero. Curiosamente, eu nunca escrevi sobre um dos meus filmes de terror favorito. Trata-se de Sexta-feira 13 (Friday the 13th, 1980). Motivo de piada para muitos, eu realmente gosto do original e digo mais, me colocando no lugar da audiência que viu aquele filme nos cinemas em 1980, eu realmente acredito que muitas pessoas tenham gostado do filme.

E como não falar das sequências? Do remake? De Freddy Vs Jason? Nisso tudo, Jason virou uma marca registrada bastante rentável e de gosto duvidoso. Mas que atire a primeira pedra quem nunca viu um filme do assassino mascarado! Além da obra original, gosto muito também das partes 2, 3, 4 e 7. E confesso que gosto também de Jason X. Bom, mas de volta a famosa frase do começo desse artigo, permita-me explicar porque a mesma está em um texto com a temática deSexta-feira 13.

Como morei na Inglaterra desde 2009 até 2011, trabalhando como jornalista, estava, em novembro de 2010, passeando pelo condado de Nottingham. Eu havia chegado naquele dia e iria voltar para Londres na manhã seguinte. Andando pelo centro da cidade, de repente passei em frente a uma loja chamada Monster Store e me deparei com objetos alusivos a filmes de terror e ficção. Quando começo a analisar a vitrine, encontro um cartaz que dizia que “Ari Lehman e Richard Brooker estarão na loja no dia tal para conversar com fãs, autografar DVDs e tirar fotos”.

Para quem não associou o nome com as pessoas, Ari interpretou rapidamente Jason criança emSexta-feira 13, enquanto Richard assumiu o papel do vilão na Parte 3 (1982). O primeiro pensamento que veio a minha cabeça foi como eu gostaria de estar presente naquele dia. Foi quando observei com cuidado a data e percebi que tratava-se de algo que aconteceria naquele dia. Para ser mais exato, em menos de uma hora. Prontamente disse aos meus amigos que fossem conhecer a cidade sem mim, pois eu já estava com programa para aquela noite.

Tom Savini e Ari

Tom Savini e Ari

Uma hora depois, voltei ao lugar. Dentro da loja, não havia nenhuma fila. Entrei e fui para o final do prédio, onde havia uma pequena mesa com fotos e pôsteres do Ari e do Richard como Jasons. De repente, observei que o Ari estava conversando com uma das funcionárias da loja a uma certa distância na qual eu não tinha como me aproximar e, apesar de ser jornalista, sou muito tímido para gritar para chamar alguém dentro de uma loja. De repente, vi outra funcionária e me aproximei para dar início ao seguinte diálogo.

Filipe: Olá, com licença.
Funcionária: Sim, pois não.
Filipe: Eu vim para o encontro com o Ari e o Richard.
Funcionária: Ótimo, e você quer conhecer os dois?
Filipe: Sim.
Funcionária: OK, são 20 libras.
Filipe: Desculpe, eu não entendi.
Funcionária: Cada autógrafo custa 10 libras.
Filipe: Ah não, eu não quero autógrafo, quero só conhecê-los e tirar fotos com eles. Quanto custa a foto?
Funcionária:(com cara de quem não entendia o que eu estava falando): Foto? Não sei, acho que é de graça.
Filipe: Ótimo, porque eu não quero autógrafo.
Funcionária (ainda com cara de confusa): Como não? Todos querem o autógrafo.
Filipe: Eu não quero.
Funcionária (sem acreditar): Tem certeza?

De repente, o próprio Ari se aproximou e entrou na conversa:

Ari: Você é do Brasil?
Filipe: Sim.
Ari: Ah, eu percebi logo. Pode vir para cá.

Segue abaixo uma “entrevista” com o Ari Lehman:

Eri Jason (2)

Filipe: Como você sabe que eu sou do Brasil?
Ari: Seu sotaque é inconfundível.
Filipe: Você conhece muitos brasileiros?
Ari: Muitos brasileiros estão presentes em convenções de filmes de terror e eles são os fãs mais apaixonados. É muito bom conversar com vocês.
Filipe: Olha, eu queria apenas conhecer você e tirar uma foto, mas será que podemos conversar uns cinco minutos para uma entrevista?
Ari: Claro, mande as perguntas.
Filipe: Acho que a primeira pergunta é como é participar de convenções e encontros como esse de um filme no qual você fez mais de 30 anos atrás e no qual você aparece por apenas um minuto?
Ari: Eu acho incrível. Eu acho fantástico. Eu sei que é clichê e que todo mundo fala isso, mas ninguém esperava que o filme fosse ter essa repercussão.
Filipe: Qual foi o momento em que você percebeu que o filme seria um sucesso?
Ari: Acho que logo após o lançamento. Eu estava no colégio e um colega de classe chegou escondido para mim e falou no meu ouvido “Kill kill kill… mo mo mo…”, como escutamos no filme. Eu olhei de volta e perguntei qual era o problema dele (risos).
Filipe: E como é carregar esse título de ter sido o primeiro Jason?
Ari: Tenho muito orgulho e acho que é algo que levo em todos os demais trabalhos que eu faço. (Além de sexta-feira 13, Ari participou de mais três filmes e um curta metragem entre os anos de 2006 e 2010)
Filipe: Eu li em algum lugar que você tem uma carreira como músico?
Ari: Sim, é verdade. Eu tenho uma banda. Você já escutou o meu CD?
Filipe: Não. (eu na verdade nem sabia que ele tinha um CD). Qual é o nome da banda?
Ari: First Jason. Nosso estilo é punk/metal e nós tocamos em clubs e claro, convenções de filmes de terror. (Nesse momento, ele me entrega uma copia do CD)
Filipe: E além de cantar, você toca algum instrumento?
Ari: Teclado. E sabe quem é fã do meu som? Tom Savini (maquiador do primeiro Sexta-feira 13)
Filipe: Eu vou escutar então o seu CD. Mas de volta a Sexta-feira 13, além do original, quais outros filmes você gosta?
Ari: Eu gosto muito do 3, por ter sido a parte na qual a máscara foi apresentada ao público e que impressão positiva causou.
Filipe: E o que você achou do remake?
Ari: Não é que eu não tenha gostado, mas acho que Jason foi apresentado de uma forma que foge um pouco da ideia dos primeiros filmes. Não sei de onde tiraram a história da caverna ou do sistema elétrico.
Filipe: Quem paga a conta de luz?

Eri Jason (4)
Ari: Isso mesmo (risos), mas fora esses exageros, gostei do filme, mas o meu favorito sempre será o original.
Filipe: E falando em original, você mantém contato com alguém do primeiro filme?
Ari: Sempre encontro com colegas em convenções. Alguns que eu não conheci durante a filmagem, pois basicamente, do elenco trabalhei apenas com a Adrienne King.
Filipe: Eu a entrevistei alguns anos atrás. Ela é muito simpática.
Ari: Ela é a nossa irmãzinha. Eu gosto muito da Betsy Palmer, mas eu só fui conhecê-la anos depois em convenções.
Filipe: O que ela faz atualmente? Eu soube que ela se aposentou.
Ari: Sim, ela mora em Nova York, mas está aposentada. Esporadicamente ela ainda participa de alguma convenção.
Filipe: É verdade que ela recusou reprisar o papel da Senhora Voorhees em Freddy Vs Jason?
Ari: Eu não sei com certeza, mas conhecendo ela, creio sim que ela tenha recusado e vamos ser francos, a Senhora Voorhees de Freddy Vs Jason não tem nada de semelhante com a que Betsy interpretou tão bem. Não falo do aspecto físico, mas a forma como a personagem foi concebida para Freddy Vs Jason, onde ela simplesmente foi apresentada como uma louca malvada.

(Nesse momento, outras pessoa começam a chegar na loja e Ari, de forma muito simpática, informa que vai ter que atender as demais pessoas).

Filipe: Antes de você ir, posso tirar uma foto com você?
Ari: Claro, deixe eu me preparar. (Neste momento, Ari pega um par de luvas pretas de couro).
Filipe: E Ari, uma última pergunta, já que você sabe que os brasileiros amam Jason, mande um recado para eles.
Ari: Jason é o maior e escutem o meu som, vocês vão gostar.

Eri Jason (5)

Informações sobre Ari Lehman e sua banda: http://www.firstjason.com

Filmografia de Ari:

2010 - Night on Has Been Mountain
2009 - Terror Overload
2008 - Three Thug Mice (short)
2006 - ThanXgiving
1980 – Sexta-Feira 13
1978 – Manny’s Orphans